Best Picks

O Best Picks da vez é uma seleção de filmes que, de alguma forma, desenvolvem uma outra relação temporal. É um desafio, ou uma brincadeira, em relação ao tempo e movimento, a fim de captar a real experiência humana também em seus momentos desacelerados, de marasmo, da contemplação.

Com planos únicos e longos, normalmente mais preocupado com a contemplação do tempo mais ordinário do que propriamente com a clareza narrativa, o cinema lento é uma experiência de tédio, cochilos e divagação, mais interessado em desenvolver outra relação entre tempo e cinema. Dentro da nossa seleção estão filmes que variam em gênero, país e contexto social. Jornada ao Oeste por exemplo traz gestos fortes de videoperformance, e Na Ventania, os tableaux vivants à sétima arte. O que está no cerne na lista é como somos desestabilizados por um outra expêriencia temporal com os filmes. Confira:

  1. Stalker - Andrei Tarkovski (1979)

  2. Satantango - Béla Tarr (1994)

  3. Jeanne Dielman - Chantal Akerman (1975)

  4. Na ventania - Martti Helde (2014)

  5. Les unwanted de Europa - Fabrizio Ferraro (2018)

  6. Kaili Blues - Bi Gan (2015)

  7. Era uma vez em Brasilia - Adirley Queiros (2017)

  8. Jornada ao Oeste - Tsai Ming-Liang (2014)

  9. Maborosi - Koreeda (1995)

  10. Vitalina Varela - Pedro Costa (2017)

©2019 by Notas críticas